terça-feira, 2 de julho de 2013

A "minha" Boina Welting

Bom, aqui o espaço é meu, mostro o embodo que eu quero. 
Tricô é uma coisa absolutamente democrática e tem que ser divertida. 
No meu caso chega a ser  uma coisa desaforada. Fazer o quê, se eu gosto taaaanto de experimentar? Fazer o "queê", se na maioria das vezes dá muito certo, mesmo que seja por pura sorte? Sabe o curioso de plantão? 
Muito prazer, sou eu mesma.

Teci uma Boina Welting modificando a receita e amei o resultado.  Me lixando para quem achar que se deve ser fiel ao que se lê na hora de tecer. 
Quem não arrisca não petisca, quem não chora não mama e por aí vai. Ainda mais no Brasil, que a gente encontra tantos erros em publicações. De tanto "consertar as coisas" a gente acaba aprendendo a modificar até os projetos confiáveis. E o meu tricô é Sui generis mas não exclui nenhuma possibilidade (Tá?).
Daí as minhas impressões sobre a Welting:
Estudando, descobri que não é uma receita apenas e sim um padrão que te permite criar vários outros além da tão conhecida e apreciada boina.

Ok, já que é assim e porque eu precisava de uma coisinha maior que acomodasse confortavelmente a minha cabecinha de maranhense gerada por paraibano, acrescentei ao projeto original mais 6 pontinhos, resultando assim em 45 pontos iniciais, usando montagem provisória em agulhas número 6. 
Nesse caso, na hora de levantar os pontos na lateral, sobram 30 pontos na carreira e não os 24 "originais". 
Teci apenas 4 séries apesar da receita traduzida recomendar 5. Isso porque o fio que eu usei (Original, da Coats. É o antigo Nuance, gente.), tinha apenas 180 metros e as 4 séries já comportavam bem a minha "cabecinha".   
Se você for tecer a receita original, um novelo de Original dá certinho as 5 séries.
Na hora de costurar usei uns truques legais também:
uma montagem provisória favorece o grafting. E essa do vídeo, especificamente:
Após tecer a boina inteira siga esses passos para a costura ficar invisível:
 E aí depois é só levantar os pontinhos na lateral com agulha circular ( usei a 4,5mm de 40 cm), tecer 4 cm em barra 1/1 ou qual prefira ;D . 
Antes de arrematar ainda teci 5 carreirinhas em ponto jersey para dar uma enroladinha para fora.
Minha aluninha Guiomar tem cabeça normal e ficou  muito satisfeita com as modificações.
A receita original traduzida por uma pessoa linda, que conheci pessoalmente no Congresso,
E aqui, o vídeo mais legal que assisti sobre o assunto.
Minha mensagem:
Tricô é para agregar valores e unir pessoas, não para dividir opiniões.
E é uma experiência absolutamente particular mas que possibilita compartilharmos o melhor de nós para o mundo inteiro.
E como escreveu "um lindo amigo meu":
 ... tricotar não é só artesanato, tricotar é arte, é diversão, é solidariedade, é magia e acima de tudo, tricotar é AMOR! Mas não se engane, tricotar não é para jovens, não é para "velhos", não é para homens ou mulheres ...tricotar é para todos aqueles que querem experimentar o que há de melhor dentro de cada um de nós ...Deixe-se contagiar... deixe-se envolver... dê o primeiro passo... dê o primeiro ponto!
Divirta-se.

4 comentários:

zenuwpees disse...

Le baret est bien beau Marie-Claire

Martha Valle disse...

Maravilhosa sua explicação sobre trico e sobre vida, amei a boina mas o papo é imperdivel, ganhou uma amiga paulista, hehehe.

Gateira Criativa disse...

Se nem a receita de bolo a gente segue igual, por quê a de tricô seguiríamos né?
Ficou maravilhosa! Parabéns!!!
Bj
Gateira Criativa

Alcena C V C disse...

Ficou muito lindo teu gorro.
Mas ficou muito charmoso nesta
bela modelo,ihihiiiii!! bjs
Tenha dias alegres e criativos!

http://alcenacvc.blogspot.com/