segunda-feira, 25 de maio de 2015

Gravata de tricô em folhas

Para  tecer essa gola que forma um jabô nas pontas, você vai precisar de 150 metros de fio wosterd, e agulhas para tricô número 7.
24 pontos em qualquer montagem e após uma carreira em ponto tricô, proceder da seguinte forma:
1ª carreira: 10 pontos em tricô, virar o trabalho sem tecer os outros pontos.
2ª carreira: Virar e tecer os 9 pontos em tricô, pois o 1º ponto dessa volta é sempre sem fazer.
3ª carreira: 8 pontos em tricô, virar o trabalho.
4ª carreira: Virar e tecer os 8 pontos em tricô.
5ª carreira: 7 pontos, em tricô, virar o trabalho.
6ª carreira: Virar e tecer os 7 pontos em tricô.
7ª carreira: 6 pontos, em tricô, virar o trabalho.
8ª carreira: Virar e tecer os 6 pontos em tricô.
9ª carreira: 5 pontos, em tricô, virar o trabalho.
10ª carreira: Virar e tecer os 5 pontos em tricô.
11ª carreira: 4 pontos, em tricô, virar o trabalho.
12ª carreira: Virar e tecer os 4 pontos em tricô.
13ª carreira: 3 pontos, em tricô, virar o trabalho.
14ª carreira: Virar e tecer os 3 pontos em tricô.
15ª carreira: tecer de uma vez só, todos os 24 pontos.
Voltar à primeira carreira.
Repetir as carreiras acima por 7 vezes para formar uma folha com as carreiras encurtadas.
Após isso, com os 24 pontos na agulha, tecer em ponto de falsa barra inglesa: *1 ponto sem fazer , 1 laçada, 2 pontos juntos em tricô*, repetir de *a* até o final da carreira; 
Todas as carreiras dessa parte são iguais por 50cm. Após os 50 centímetros de falsa barra inglesa, recomeçar na sequencia para fazer a outra folha. Arremate. Com um ponto invisível feche as duas pontas das extremidades das folhas, ou não, fica a seu critério. 
DICAS PRECIOSAS:
Com o dobro de fio você consegue um lindo cachecol em espiral se apenas repetir a sequencia das carreiras encurtadas. Esse da foto, teci com Original, da Coats. Mas fica bom em qualquer fio compatível com agulha número 5. O uso da agulha número 7 foi proposital, pelo efeito após amostra, então teste suas possibilidades com amostras antes de começar.
Gostou? Curta, comente, compartilhe.
Bons tricôs. 

sexta-feira, 15 de maio de 2015

Todo mundo precisa de um cachecol vermelho!

Em qualquer fio compatível com qualquer agulha que o bom senso aconselhe, experimente tecer esse cachecol.
Teste suas possibilidades em amostras.
 Sempre em agulha em 1 numero maior que a recomendada para que o ponto fique fofo.
Em um número de pontos divisível por 3:
1.ª carreira: *1 ponto sem fazer ,1 laçada e 2 pontos juntos*.
2.ª carreira e todas as seguintes: como a 1.ª carreira.
Franjas de 40 centímetros dobradas ao meio intercaladas com flores de crochê e correntinhas.
Retire as flores e é possível ter um cachecol masculino.
Se gostou, curta, comente e compartilhe.

terça-feira, 5 de maio de 2015

Blusa em tricô com pala redonda

Amo palas redondas com qualquer que seja o detalhe. E amo tecer em amarelo.
Tendo eleito uma receita da qual eu gostasse, faltava o tempo e escolher o fio para tecer. Mas tricoteira sempre dá um jeito de se divertir.
A receita escolhida foi essa;

E o fio veio parar meio que por acaso em minhas mãos,
que tem um brilho sutil, e um toque bem macio.
Como queria rapidez, misturei o Glam a um fio de mesma expessura e usei agulhas  número 7.
Notem que o ponto não é o mesmo, teci os furinhos em dente de gato: *2 pontos juntos em meia, 1 laçada*.
E mantive as mangas curtas, claro, para conseguir usar o tricô no clima gentil do cerrado centro-oeste
Para quem apostar na receita a minha dica é que se façam aumentos após dividir os pontos para as cavas, para um melhor caimento. Então meça direitinho sua cava. 
E então podemos, concluir que a receita acabou virando outra, o que gostei muito. Afinal é isso o que o tecido à mão nos proporciona. 
Abaixo, quando eu ainda não havia me decidido pelos acabamentos.
Eu tinha que postar isso, para vocês saberem o que fiz no verão passado.
;)

sexta-feira, 1 de maio de 2015

Tricô para gatos, a experiência.

Atualizando: dias depois desse post que você lerá a seguir, descobri que o animal é macho.
E assim Blair se tornou Bill. O amor continua o mesmo.
Uma gata linda nos adotou. Combinamos aqui e batizamos-a de Blair Cornelia Waldorf, como em Gossip Girls. Aquela mocinha linda que adora um tricô na cabeça, lembra?
Blair adora colo, meus fios e todos os outros apetrechos que uso enquanto teço alguma coisa.
Existe um fenômeno natural que transforma tricoteiras em gateiras. Ou amantes de bichinhos fofinhos. Não sei como se explica isso.
Eu, então, gateira amadora, inventei de tecer uma roupinha nesse calor senegalês de Brasólia para um bicho de pelo lindo. Totalmente desnecessário, né?
Visto que gatos não precisam e não aceitam roupas. Pelo menos a maioria, pelo que soube de outras gateiras.
Mas a bichana linda, paciente como só ela ainda me proporcionou umas fotos.

usando a técnica do top down.
Na parte das costas, umas carreirinhas encurtadas para arredondar e cobrir com graça o lombo da bichana.
 A ideia era ótima, execução divertida, e ela ainda me presenteou com uns minutinhos de charme até entender que não precisava morrer desidratada dentro da roupa. 
Deve ter pensado: Sou uma gata de pelo lindo, chega!
E acabamos com a brincadeira. Mas eu precisava registrar e alertar as gateiras novatas feito eu:
Teçam apenas para seu cachorro. Gatos não precisam disso.
E AQUI, muitos links para quem quer empreender no assunto. 
Divirtam-se.